As 13 Melhores Técnicas e Métodos de Estudo para Concurso

Técnicas e Métodos de Estudo para Concurso

Se você está se preparando para algum concurso, sabe que é preciso ter um estudo consistente e otimizado para alcançar o resultado desejado.

Estamos aqui para mostrar como melhorar a seu desempenhos nos estudos e aumentar suas chances de passar em concursos públicos.

Por isso, reunimos neste artigo as melhores técnicas e métodos de estudo para te auxiliar na sua preparação.

1. Priorizar os assuntos mais relevantes

Priorizar determinados assuntos para estudar é essencial, pois na maioria das vezes o edital é muito extenso e o tempo de preparação acaba não sendo suficiente para cobrir todo o edital.

Mas como priorizar os assuntos mais importantes?

Uma maneira de fazer isso é analisar as provas anteriores e o perfil da banca para ter um visão de quais assuntos costumam ser mais cobrados no concurso.

Assim você terá mais clareza sobre o que precisa focar nos seus estudos.

2. Interrogação Elaborativa

A técnica da Interrogação Elaborativa é uma ferramenta poderosa para quem deseja obter um melhor entendimento do material estudado.

Ao invés de apenas ler o material, deve-se formular perguntas para que se possa obter um maior envolvimento com o conteúdo.

Por exemplo, se o tema for história, além de ler sobre os fatos, é interessante perguntar por que esse evento ocorreu e quais foram suas consequências.

Isso estimula o desenvolvimento do pensamento crítico e a compreensão profunda do material.

3. Estudar por questões

Resolver questões é provavelmente uma das melhores maneiras de se preparar para um concurso.

Esta abordagem ajuda a entender melhor o estilo da banca e dá a você a oportunidade de aplicar seu conhecimento de forma prática.

Ao estudar questões, você conseguirá identificar tópicos específicos frequentemente cobrados no concurso e isso o ajudará a se concentrar nos assuntos corretos.

Além disso, você adquire a habilidade de reconhecer qual tipo de questão pode ser feita em menos tempo e quais podem demandar mais tempo.

4. Fazer seus próprios resumos

Criar seus próprios resumos é uma ótima maneira de fixar as informações aprendidas e ter um recurso valioso para revisões futuras.

Ao escrever seus próprios resumos, você está forçando seu cérebro a processar e compreender o conteúdo de maneira mais eficaz.

Quanto mais vezes você repassar o conteúdo do resumo, mais ele parecerá familiar e será mais fácil de recordar.

À medida que você estiver percorrendo seus resumos, verifique se eles capturaram o conteúdo principal e forneceram exemplos claros e relevantes.

5. Revisão Espaçada

A técnica de revisão espaçada, também conhecida como revisão distribuída, é uma excelente maneira de fixar informações na memória a longo prazo.

O princípio por trás desse método é que, se você revisa o material em intervalos regulares ao longo do tempo, consegue memorizar melhor o que aprendeu.

Isso porque a repetição de informações ajuda o cérebro a formar melhor as conexões neuronais necessárias para lembrar.

Por isso, esse método de estudo é particularmente útil para preparar-se para provas de concursos.

Felizmente, existem algumas ferramentas online e aplicativos que podem auxiliar nessa tarefa.

Com essas ferramentas, você pode registrar os itens que deseja estudar, programar quando deverá revisá-los novamente e organizar tudo em um único lugar.

Assim, é possível garantir que você não se esquecerá do que estudou mesmo com o passar do tempo.

6. Estudo Intercalado

No método de estudo intercalado, ao invés de dedicar horas para estudar apenas uma disciplina, você deve alternar entre diferentes disciplinas, permitindo aproveitar melhor o seu tempo de estudo.

Por exemplo, se você optar pelo estudo intercalado, poderá estudar português na parte da manhã e, na parte da tarde, rotacionar entre raciocínio lógico e alguma disciplina específica.

Assim, você consegue absorver melhor as informações, pois o seu cérebro não fica sobrecarregado com informações da mesma disciplina por um longo período.

Uma das principais vantagens do estudo intercalado é que você pode considerar os seus dias de estudo como uma espécie de ciclo.

Você pode programar esses ciclos com base no seu tempo livre, anotando os dias em que estudará uma determinada matéria e, em seguida, definir quais disciplinas serão rotacionadas no ciclo de estudo seguinte.

7. Técnica de Pomodoro

A técnica Pomodoro baseada na “divisão do tempo” e tem como objetivo otimizar a concentração nos estudos.

O método foi criado em meados da década de 80 pelo italiano Francesco Cirillo.

O nome “Pomodoro” vem do fato de Cirillo ter usado como cronômetro para medir o tempo um relógio de cozinha em formato de tomate.

A técnica Pomodoro funciona assim: você se dedica ao estudo por 25 minutos, o que é conhecido como um “ciclo”. Após concluir o ciclo, toma-se uma pausa de 10 minutos.

Essa é a configuração mais comum da técnica, mas é possível adaptar a duração do ciclo e da pausa de acordo com sua rotina.

Depois de cada pausa, você começa novamente com um novo ciclo de 25 minutos. Durante esses ciclos, é importante evitar distrações, como usar o celular, ver televisão etc.

É importante ter em mente que esses 10 minutos de descanso entre as pausas são extremamente importantes. Essa pausa ajudará a renovar sua atenção para o próximo ciclo de estudo.

8. Mapas Mentais

Os mapas mentais são perfeitos para quem tem boa memória fotográfica, ou seja, para quem tem facilidade de se lembrar de algo graças a imagens.

Esse método consiste em resumir as principais informações num diagrama composto de formas geométricas, setas e outros ícones interessantes que ajudam a dar uma visão lógica do conteúdo como um todo.

Para criar um mapa mental, é importante usar cores e formas para tornar o conteúdo atraente e organizado.

É possível usar metáforas para tornar o conteúdo mais memorável.

Por exemplo, se você estiver estudando a história da Idade Média, pode usar a metáfora de que os cavaleiros eram os heróis da época. Desse modo, você conseguirá lembrar com mais facilidade dessa informação.

Outra vantagem dos mapas mentais é que eles permitem que você saiba onde achar as informações de que precisa com mais facilidade.

Assim, se você estiver procurando uma informação específica, basta olhar o mapa mental que você criou e encontrar o ícone que representa aquela informação.

9. Mnemônicos

Mnemônicos são uma técnica muito útil para quem quer estudar conteúdos mais complexos de forma mais simples e divertida.

Essa técnica consiste em associar palavras, frases, gráficos ou símbolos ao conteúdo para facilitar a memorização.

Existem várias formas de usar mnemônicos como técnica de estudo:

  • Aprendizado auditivo: nesse caso, você usa palavras ou frases para se lembrar de algo. Por exemplo, quando você estuda sobre os nomes dos planetas do Sistema Solar, você pode criar uma frase para lembrar os nomes: “Meu Velho Amigo Me Chama de Marte; Júpiter, Saturno, Urano e Netuno”.
  • Aprendizado visual: aqui você usa gráficos, imagens ou figuras para representar conteúdos. Por exemplo, se você estiver estudando a anatomia de um inseto, pode usar um diagrama com os principais órgãos do inseto para facilitar a memorização.
  • Aprendizado cinestésico: aqui você usa gestos ou movimentos para representar o conteúdo. Por exemplo, se você quiser se lembrar das fases da lua, você pode usar a mão para simular os movimentos da lua ao redor da Terra.

Você pode criar seus próprios mnemônicos, para tornar o processo de memorização mais fácil.

10. Audioaulas

Audioaulas podem ser usadas de forma eficaz para aprimorar o rendimento do estudo.

Usando áudio como parte da sua preparação para um concurso público, você explora outro sentido para entender e memorizar melhor os conceitos, bem como melhorar sua compreensão de assuntos abstratos.

Por exemplo, ao estudar matérias de Direito, ouvir alguém explicar os assuntos em voz alta pode se tornar mais fácil entendê-los do que simplesmente lendo.

Outra vantagem de usar o áudio na preparação para concurso é que isso permite que você melhore seu conhecimento de língua portuguesa, pois ouvindo alguém falar, você pode prestar atenção ao uso dos termos corretos e diferentes formas de se expressar.

11. Método Feynman

O Método Feynman é uma técnica de estudo desenvolvida pelo premiado físico Richard Feynman.

O método é baseado em sua abordagem única de aprender e ensinar.

O principal objetivo do Método Feynman é ensinar a pessoa como estudar e entender qualquer assunto de maneira mais profunda e eficaz.

Esta técnica pede que você faça anotações em seu caderno, crie pequenos resumos e faça muitas perguntas sobre o assunto que você está estudando.

A ideia é que, ao responder suas próprias perguntas, você entenda o assunto de uma forma mais profunda.

Ao usar o Método Feynman, você também deve praticar explicando o assunto para outras pessoas, inclusive para aqueles que não tem nenhuma experiência no assunto.

12. Método Robinson (EPL2R)

O método de estudo Robinson, desenvolvido pelo psicólogo americano Francis Pleasant Robinson em 1946, é baseado nos princípios básicos do aprendizado.

São cinco passos fundamentais para a execução do método: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar.

  1. O primeiro passo consiste em explorar o material de estudo com uma leitura superficial dos tópicos, sumários e título. Isso ajuda a entender o contexto do conteúdo e a identificar as perguntas que serão feitas posteriormente. Ao final desse passo, é possível ter uma ideia geral do que será aprendido.
  2. Após a exploração, vem a etapa das perguntas. Todas as que surgiram durante a leitura superficial devem ser respondidas e é importante que isso seja feito de forma objetiva. O objetivo é estabelecer um diálogo interno entre o estudante e o conteúdo.
  3. Na sequência vem a leitura aprofundada. É nessa etapa que a pessoa busca entender os conceitos por trás das questões que surgiram durante a leitura anterior.
  4. Depois desse processo, ele faz uma leitura completa do material, sem pensar em aplicações do conteúdo.
  5. Por fim, a pessoa repassa as informações lidas para si. Após ter aprendido e organizado o conhecimento, é necessário transformar essas informações em um discurso próprio. Para isso, ela deve falar em voz alta para explicar os conceitos mais importantes.

13. Método Cornell

O método Cornell é, sem dúvida, um dos mais poderosos ferramentas para resumir o conteúdo estudado de forma clara e objetiva. É fácil de se aplicar e consegue agrupar as informações de maneira simples.

O professor da Universidade Cornell, Fredrick P. Walcott, foi o criador, na década de 1940.

Esse método consiste basicamente numa folha de anotações dividida em três partes.

Na primeira parte você anota todas as informações relevantes sobre o conteúdo resumido do assunto, na segunda parte, você escreve os temas e palavras-chave, e na terceira parte você resume o assunto em poucas frases.

Com o método Cornell, é possível fazer um fichamento completo do assunto estudado, ideal para as revisões.

Ele método é particularmente útil quando o conteúdo é grande ou quando precisamos salvar algo para consulta posterior.

Confira também o nosso artigo sobre os melhores cursos para concursos em 2024.

Banner
Banner
Banner

Sobre o autor

Erick Melo

Erick Melo

Erick Melo é servidor público, autor e editor do site Dr. Concursos. Ele acredita que a educação é uma ferramenta para o desenvolvimento pessoal e profissional, e trabalha para oferecer conteúdos de qualidade que auxiliem as pessoas a se prepararem para concursos públicos.

Sobre o autor

Erick Melo

Erick Melo

Erick Melo é servidor público, autor e editor do site Dr. Concursos. Ele acredita que a educação é uma ferramenta para o desenvolvimento pessoal e profissional, e trabalha para oferecer conteúdos de qualidade que auxiliem as pessoas a se prepararem para concursos públicos.